Offboarding: como aplicar de forma segura na empresa?

Nova call to action

O offboarding nas empresas merece atenção especial de todos os profissionais de Recursos Humanos, já que o momento de desligamento do colaborador também faz parte da experiência do profissional na organização.

Ademais, uma pessoa que foi contratada e prestou serviços por determinado tempo na empresa merece o mínimo de respeito e de humanização nesse momento tão delicado da carreira de qualquer profissional.

Ao longo desta leitura explicamos como você pode aplicar o offboarding de forma eficiente no seu negócio. Acompanhe!

O que é offboarding?

Trata-se do fim do ciclo do funcionário na empresa, e em cenários em que a instabilidade econômica prevalece e grandes anseios tomam conta de toda a sociedade — como acontece com a crise do COVID-19 — é cada vez mais necessário promover boas experiências aos profissionais.

Para lidar melhor com esses momentos de incertezas, é preciso pensar em uma comunicação alinhada com a verdade dos fatos e também empática. Afinal, o trabalhador levará o nome da empresa para o mercado de trabalho.

Logo, a comunicação nesse momento de desligamento deve ser cuidadosa, a fim de não prejudicar a boa experiência do profissional com a marca empregadora da companhia.

Há casos, inclusive, em que o profissional é convidado a retornar à empresa ao final das crises. O The Corporate Culture and Boomerang Employee Study, com pesquisa conduzida pelo Workplace Trends, revelou que 15% dos colaboradores desligados retornam às empresas.

As boas práticas no offboardding também devem ser seguidas quando é o colaborador quem pede o desligamento, visto que é possível convencê-lo a se manter no cargo, ou mesmo captar informações importantes para futuras adequações de processos, como veremos a seguir.

Porque o processo de offboarding deve ser implementado?

Além de conceder ao colaborador o respeito que ele merece e preservar a marca empregadora da organização, existem diversas razões para fazer a implementação do processo de offboarding na sua organização. Separamos os principais para você a seguir. Confira!

Padroniza processos

Como acontece no processo de onboarding, o processo de desligamento do colaborador também merece cuidados. É preciso solicitar a carteira de trabalho para oficializar as anotações de baixa do quadro de funcionários, solicitar as assinaturas e uma série de outras questões, como retirar os dados de acesso a e-mails de outros sistemas.

Com um offboarding bem estruturado, você faz todas essas questões de forma eficiente com a ajuda de um checklist. Dessa forma, você cria um processo que pode ser seguido por vários profissionais de RH da sua empresa, padronizando o processo de demissão na companhia.

Com isso, evita-se contatos desnecessários com o colaborador desligado para solicitar documentos ou assinaturas, por exemplo.

Melhora a reputação da empresa

Ter os melhores talentos do mercado garante importantes diferenciais competitivos para as empresas. Sendo assim, é importante pensar não só no ondoarding ou nos colaboradores que permanecem na empresa. É importante, mesmo após o desligamento, manter uma relação positiva com os profissionais, para que isso repercuta positivamente na imagem da organização, fazendo com que a reputação da companhia seja consolidada no mercado de trabalho. Isso também colabora para a formação de uma marca empregadora forte.

Evita atritos

Por haver uma série de questões emocionais envolvidas no processo de offboarding, esse momento deve ser tratado com todo o cuidado, a fim de impactar o menos possível no psicológico do colaborador desligado. Isso pode ser feito com ações bem-estruturadas e pensadas pela equipe de RH.

É preciso estar preparado para possíveis questionamentos e, nesse momento, é importante ser o mais verdadeiro possível, mas evitando críticas e arrogância no feedback conferido ao profissional.

Como aplicar o offboarding de forma segura?

Ao desligar o colaborador, é preciso ter em mente uma série de cuidados, principalmente porque esta é uma fase que pode ser bastante delicada para ele, tanto financeiramente como também emocionalmente. Logo, estruturar o processo de offboarding é fundamental para o sucesso das ações. Veja a seguir como fazer!

Mostre empatia

A empatia tem sido uma competência muito requisitada pelo mercado de trabalho, e deve ser colocada em prática diariamente nas empresas, em especial no momento do desligamento de colaboradores. Afinal, o setor de Recursos Humanos trabalha com seres humanos, que têm necessidades emocionais e comportamentais que devem ser respeitadas.

Caso a decisão do rompimento dos laços de trabalho tenha partido da empresa, lembre-se que existe uma grande possibilidade da pessoa demonstrar uma fragilidade emocional no momento do comunicado, o que é normal.

Lembre-se de que todos os profissionais passarão por essa situação em algum momento da sua carreira profissional, inclusive você. Portanto, coloque-se no lugar do outro e pratique a empatia.

Providencie a documentação

Já comentamos que as questões burocráticas devem estar alinhadas. Isso pode parecer óbvio, mas muitos profissionais de Recursos Humanos, na ânsia de dar logo a notícia do desligamento, acabam não se planejando para essas questões práticas, que envolvem a documentação.

Para evitar esse erro, tenha certeza de que possui todas as informações necessárias para proceder o offboarding, incluindo uma lista com todos os documentos necessários e as orientações que devem ser direcionadas para o colaborador, a exemplo da realização do exame demissional, e o recolhimento das carteirinhas do plano de saúde.

Saiba ouvir

Reserve um bom tempo da sua agenda para fazer o desligamento do funcionário. Com isso, você vai poder saber como foi a experiência dele na empresa, ouvir seus comentários e tecer ideias que possam ajudar no desenvolvimento da própria organização.

O mesmo vale para quando o pedido de desligamento parte do colaborador. Procure entender quais são as motivações que o levou a tomar esse tipo de decisão.

Esse aglomerado de ideias pode trazer insights que podem levar a redução do turnover na organização, o que com certeza ajudará a empresa a reter seus talentos e ao mesmo tempo reduzir custos.

Assim, quando a empresa ignora o processo de offboarding, ela perde a oportunidade de estruturar seus processos, facilita estados emocionais alterados de ambas as partes, o que pode prejudicar a imagem empregadora da empresa.

Logo, para ser reconhecida como uma marca empregadora, é fundamental que a empresa invista nos processos de offboarding da mesma forma com que investe nos processos de onboarding. Como consequência, a companhia preserva a sua marca empregadora, melhora processos e ainda evita atritos desnecessários.

Se você gostou deste artigo sobre offboarding, confira também este sobre entrevista de desligamento.

Nova call to action
Nova call to action
Nova call to action